A Incrível Lenda do Capim Dourado leva democratização da cultura com apresentações para mais de mil pessoas, em cinco municípios do interior tocantinense

A Incrível Lenda do Capim Dourado leva democratização da cultura com apresentações para mais de mil pessoas, em cinco municípios do interior tocantinense

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Cinthia Abreu

Praças públicas e outros locais públicos de cidades do Norte do Tocantins, como Araguaína, Nova Olinda, Babaçulândia, Muricilândia e Santa Fé do Araguaia foram tomadas pela cultura mambembe do Grupo Artpalco, ao longo da última semana, de 7 a 10 de Abril. Mais de 1 mil pessoas prestigiaram as apresentações durante toda a turnê. A trupe levou música, teatro e cultura popular aos cinco municípios do interior tocantinense, por meio de apresentação do espetáculo teatral “A Incrível Lenda do Capim Dourado”.

De acordo com o responsável pelo projeto, o ator e produtor George Henrique, a proposta foi a de levar a democratização da cultura no interior do estado do Tocantins. “Araguaína é a base de nossas produções e foi o ponto de partida para esse projeto, mas sabemos a dificuldade que é de chegar entretenimento e arte a essas comunidades mais longínquas. Cumprindo a missão de que a arte deve estar onde o povo está, levamos a nossa caravana para a rua, perto do povo. Que essas apresentações sejam apenas o começo de um movimento contínuo rumo à democratização plena da arte e da cultura não só no Tocantins como em todo o País”, celebrou o artista.

A atriz Tatiane Breve complementa que o sucesso da turnê pelo interior mostra como o teatro de rua pode ser uma ferramenta poderosa para promover inclusão social. “Em todas as cidades fomos muito bem acolhidos e percebemos que a grande maioria nunca sequer havia assistido a uma peça de teatro. Então, este projeto é a prova de que a arte pode sim chegar a todos os cantos do estado, transformando vidas, inspirando novas formas de expressão e reafirmando a necessidade de que a cultura precisa ser acessível a todos, independentemente de sua localização geográfica ou condição social.”, ressalta.

Interior

Secretária de Cultura de Santa Fé do Araguaia, Isaurina Nascimento, afirmou que o espetáculo movimentou a cidade, ofertando inclusão social e acesso à arte e cultura. “Foi uma honra receber o Artpalco com essa apresentação tão linda. É muito importante que também esses municípios do interior tenham acesso a arte e cultura. Toda a nossa população veio, apreciou e já ficamos com o gostinho de quero mais”, defende a secretária.

O prefeito de Babaçulândia, Franciel de Brito, parabenizou aos artistas do Artpalco pela realização do projeto, afirmando ser uma celebração cultural com união de linguagens artísticas. “Foi uma apresentação que uniu música, teatro, dança, literatura, de crianças a idosos, todos ficaram emocionados e encantados com tamanha qualidade artística”, ressaltou.

Equipe

 O projeto incluiu um total de seis apresentações, sendo duas em Araguaína e mais uma em cada uma das demais cidades contempladas. Além disso, foi ofertado um ensaio aberto na Praça CEU e, como contrapartida social, uma apresentação para idosos do Cantinho do Vovô. Com teatro de rua, música, dança e uma linguagem mambembe, o espetáculo traz lendas fictícias sobre o surgimento do capim dourado, matéria-prima tradicional do artesanato tocantinense.

Com direção-geral e dramaturgia de Luiz Navarro, a peça traz uma versão lúdica sobre o surgimento do Capim Dourado. Ela é protagonizada pelos atores George Henrique e Tatiane Breve, que dividem a cena com a atriz Nice Albano e os atores Zé Caetano Demoraes e João Pedro Albano. Toda a trilha sonora do espetáculo é autoral, elaborada e executada ao vivo pelos músicos Nice Albano, Zé Caetano Demoraes e João Pedro Albano.

Em todas as apresentações houve intérprete de Libras, audiodescrição e, antes da exibição do espetáculo, narração descrevendo o espaço, o cenário, figurinos, e características de cada um dos personagens para maior acessibilidade de pessoas com deficiência auditiva e visual.

Sinopse

O espetáculo é uma produção teatral que tem uma narrativa cativante e artística em celebração da herança cultural do Tocantins, que transporta os espectadores as tradições e histórias tocantinenses, destacando o Capim Dourado como um tesouro cultural e econômico. São três causos – “O Amor é Dourado”, “O Capim de Nosso Senhor Jesus Cristo” e a “A Pescaria que não era de Peixe” e os textos adaptados criam uma dramaturgia que busca dar protagonismo ao capim dourado.

O primeiro conta a história de um casal apaixonado que, a partir da intercessão do Santo Antônio Casamenteiro, segue uma peleja para que o amor possa vencer a intervenção do pai da moça. Nos dois últimos causos, dois pescadores narram histórias que vão desde lendas de cobras gigantescas, que habitam os rios de nossa região, ao singelo drama do nascimento de Jesus Cristo e, juntos, os três causos contam de forma poética como o nosso capim ficou dourado.

Projeto

A circulação do espetáculo “A Incrível Lenda do Capim Dourado” é um projeto proposto pelo Grupo Artpalco, contemplado pelo edital 019/2023 – Artes Tocantins pela Lei Paulo Gustavo (LPG), via Ministério da Cultura (MinC) e Secretaria Estadual de Cultura (Secult), com apoio da Federação Tocantinense de Artes Cênicas (Fetac) e Instituto Social e Cultural Araguaia (Isca).

Ficha Técnica

Texto e Direção: Luiz Navarro

Trilha Sonora e Direção Musical: Nice Albano e Zé Caetano

Elenco: George Henrique, João Pedro Albano, Nice Albano, Tatiane Breve e Zé Caetano

Coordenação Geral: George Henrique

Produção Executiva: Paula Fraga

Assessoria de Imprensa: Cinthia Abreu

Assessoria de Comunicação: Wagner Bárbara

Produção: George Henrique, Farley Gomes, Paula Fraga, Wagner Bárbara

Intérprete de Libras: Diego Leão

Monitor de Acessibilidade: Brena Raynara Oliveira

Proponente: Grupo Artpalco

Crédito das fotos: Brena Raynara/ Divulgação
Hayla

Hayla

Comente

Relacionadas

Outras postagens