Explorando ritmos brasileiros e temas transcendentais, Piettro Lamonier lança disco e filme Magdala

Cinthia Abreu

Músico fala sobre espiritualidade em um universo instigante que mescla blues, rock, afoxé, baião, música cigana, cantiga e xamanismo.

O músico e ator Piettro Lamonier lançará o seu disco e filme Magdala com exibição presencial na próxima terça-feira, 02, a partir das 20 horas, na Sala Sinhozinho (Espaço Cultural). A produção audiovisual também ficará disponível no YouTube, no canal de Piettro Lamonier, dividido em 3 partes, nos dias 2, 3 e 4 de novembro, às 20 horas. Durante as sete músicas do disco e os 38 minutos que compõem o filme, a produção traz um manifesto espiritual, um convite à autopercepção e também um registro da trajetória particular de autodescoberta do músico, que nos apresenta através de diversos símbolos e referências um universo rico de imagens, sentidos, significados e sensações.

Gravado na casa de Dona Romana, líder espiritual da cidade de Natividade, no Tocantins, o filme concretiza a jornada cantada nas músicas em clipes/capítulos que evocam imagens e símbolos poderosamente magnéticos. “Trazendo essa plasticidade espiritual e com um toque afrodescendente, Magdala é o caminho do homem branco que precisa pedir passagem para ter paz em sua vida interna. As músicas perpassam diversos ritmos, tudo em um único trabalho que se conecta através de uma história densa rodeada de Pedra Canga”, sintetiza o músico.

O filme tem a direção de fotografia e a montagem assinadas por Roberto Giovannetti, foi protagonizado e dirigido por Piettro, e também conta com as participações da bailarina e atriz Sara Gomes e da cantora Cinthia Abreu, que participa da música e cena Branco Marfim. O álbum e o filme Magdala foram realizados com o apoio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), da Fundação Cultural de Palmas.

Carreira

Piettro Lamonier iniciou a carreira musical na banda Desconcerto, consolidou seu trabalho como vocalista e compositor do grupo Mestre Kuca e também participou do coletivo de compositores e intérpretes Cerrado Novo. Psicólogo, viu na carreira solo o caminho para falar de suas pesquisas, processos particulares e experiências místicas e espirituais: “Estudei budismo, teosofia, cristianismo primitivo, hinduísmo, umbanda, candomblé, espiritismo, filosofia franciscana e ayahuasca. Nesse ínterim, descobri a linha da psicologia analítica de Jung, os arquétipos e o inconsciente coletivo e isso mudou toda minha visão de mundo. Liberdade não era mais um isolamento e sim um conectar-se a tudo e a todos”, conta o músico.

Assim como a miscelânea de temáticas que se entrelaçam compondo a mensagem, os ritmos trabalhados também são vários; as canções alternam tambores, maracás e violões com guitarras e sintetizadores, indo do folk ao manguebeat e do samba ao eletropop. Um ótimo exemplo disso é Magdala, faixa título que une a condução dos batuques ao peso de riffs de guitarra, trechos de cavaquinho e diversos efeitos eletrônicos, enquanto Piettro canta sobre desejo e libertação.

Produzido por Fred Garibalde, o disco segue uma crescente, enquanto Piettro busca a aceitação e a integração de seu eu feminino e desenvolve sua interação com o mundo e com a força da natureza, que se manifesta através de seu corpo. Sobre a ordem do disco e as temáticas de cada música ele nos conta:

1. O chamado – começo de tudo. Onde o homem escuta o chamado de sua alma para o encontro que acontecerá logo em breve.

2.Buraco negro – sentado em seu trono de ilusão o ego precisa ser destronado pela alcaparra que ela possa aparecer a ele.

3. Morada – Onde o homem que agora está frágil começa a perceber que talvez essa energia da alma, aparentemente assustadora, pode não ser tão ruim assim e pode ser que se entregar seja uma boa alternativa.

4.Correr Correr – Ainda com medo o ego quer correr, se sente inseguro diante da alma que aparentemente é descontrolada e sem limites. Sem barreiras que a prendam. Ele tem medo e quer correr de si mesmo, mas isso é impossível e o que lhe resta quando a alma chama?

5. Paz – essa é a sensação daquele que decide pular para dentro da própria alma, uma paz infindável, mesmo diante das adversidades.

6. Magdala – eis aqui onde chega aquele que se permite ir ao encontro da alma. Ele se sente revigorado, cheio de vida, onde não necessita mais de suas ilusões, mas somente a sua própria verdade.

7. Branco Marfim – Aqui é o deleite com o alma, a união incondicional e intransponível com o que se é.

Você pode acompanhar o artista no seu canal do YouTube https://www.youtube.com/user/piettrolamonier e através de seu instagram instagram.com/piettrolamonier/.

Ficha Técnica:

Roteiro: Piettro Lamonier e Viviane Veloso

Direção: Piettro Lamonier

Direção de Fotografia e Montagem: Roberto Giovannetti

Direção Musical: Frederico Garibalde

Direção de Arte: Marcus García

Produção Executiva: Fernanda Veloso

Co-produção é da Tocantins Filmes Produções Audiovisuais LTDA.

Produção/Assist Dir.: Gabriel Deeaz

Produção Audiovisual: Vanguarda Audiovisual

Maquiagem: Isabela Bernardes

Intérprete convidada: Cinthia Abreu

Arte Assist./Atriz/Bailarina: Sara Gomes ( Leoa do Norte)

Fizeram parte deste projeto

Composição da música “Morada”: Josifran

Composição da música “Paz”: Dairo Santos  / Josifran

Teclados em todas as músicas: Daniel Kowalski

Percussão de todas as músicas: Murilo Pontes

Sax na música “Paz”: Foka

Cavaco na música “Magdala”: Ana Paula Mota

Teclados adicionais na música “Magdala”: José Alberto

Back Vocal: Diego Vicente, Isabela Bernardes e Jordana de Oliveira

Agradecimentos:

Malusa Lopes, Viviane Veloso, Elton Figueiredo e Vanessa Ferreira, Adrienne Rodriguez, Simone Camelo Araújo, Igor Dias Pereira, Fraternidade Flor de Liz, Tânia Cavalcante e Dona Romana.–
Crédito das fotos: Vanguarda Audiovisual/ Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agenda Cultural