Search
sexta-feira 7 agosto 2020
  • :
  • :

Devemos questionar a cessão do Espaço Cultural?

DEVEMOS QUESTIONAR A CESSÃO DO ESPAÇO CULTURAL DE PALMAS PARA INSTALAÇÃO DE UM HOSPITAL QUE ATENDA AS VÍTIMAS DO COVID-19?

Prezados amigos trabalhadores e trabalhadoras da cultura de Palmas,

Estou profundamente angustiado e divido com vocês meu grito!

O setor cultural padece de total desamparo no Tocantins e no País inteiro, situação agravada diante do quadro de pandemia do Covid-19 que vivemos no mundo. Nossos artistas de Palmas também sofrem as consequências vendo suas atividades serem suspensas, eventos cancelados e com nosso complexo do Espaço Cultural (teatro, cinema, biblioteca, galeria de artes, centro de ensino e administração da Fundação Cultural de Palmas), com todas as atividades paralisadas.

O impacto financeiro nas atividades da economia criativa é direto na vida de grande parte dos trabalhadores da cultura que aqui vivem.

A notícia vinculada pela imprensa de que a Prefeitura de Palmas cederá o Espaço Cultural para o Governo do Estado do Tocantins instalar uma unidade hospitalar, visando atender as vítimas do Convid-19, cai como uma bomba para o setor cultural, uma vez que, assim sendo, inviabilizará por completo qualquer possibilidade de ação de recuperação do setor cultural nos próximos 12, 18 meses.

Há dois aspectos a ser avaliados de imediato:

Primeiro qual deve ser o impacto econômico e social em médio prazo para recuperação das atividades culturais e consequentemente da sua economia e suas implicações na vida social da coletividade, inclusive na recuperação dos traumas causados pela própria pandemia, considerando que as atividades artísticas e culturais serão fundamentais para melhoramento da autoestima e da qualidade de vida das pessoas e as consequências na própria vida dos trabalhadores da cultura que sofrem traumas profundos; segundo aspecto que julgo desfavorável são as instalações hidráulicas, físicas e sanitárias do Espaço Cultural que são hoje totalmente inadequadas para uma envergadura deste porte. Basta uma avaliação minuciosa sobre este aspecto para verificar.

Sabemos que a prioridade do momento é salvar vidas, esse é um foco importantíssimo do qual devemos todos nos unir e nós artistas de Palmas estamos unidos, sensibilizados e solidários, entretanto, o poder público deve obter um olhar global na perspectiva das vidas humanas e lançar mão de outras possibilidades acessíveis dentro da sua estrutura física e em condições sanitárias superiores às instalações do Espaço Cultural de Palmas.

Creio que o momento exige uma atitude e reflexão de todos nós do setor cultural de Palmas. É preciso nos manifestar, apresentar as contradições, dizer dos riscos e consequências à Prefeita Cinthia Ribeiro, ressaltando às alternativas que dispõe.

Precisamos neste momento salvar vidas e assegurar a manutenção de vidas! E o Espaço Cultural é um instrumento eficaz para a manutenção da vida, e mais do que nunca, será no pós pico da pandemia.

O poder público municipal e estadual dispõe de outros espaços e alternativas para atender esta demanda que julgamos ser de suma importância, sem, contudo, sacrificar um dos setores que mais sofre as consequências de ausências de políticas públicas efetivas, além dos traumas que a pandemia nos acrescenta.

Pronto, falei. Fica meu grito e chamamento para uma reflexão sincera, honesta, real e de posicionamento na defesa da cultura, neste momento tão difícil para todos!

Palmas, 22 |04|2019

Att. Cícero Belém

c0cb41db2d3962d751b4ae71c6b8c23a_XL

Cícero Belém 

Ator, professor e trabalhador da cultura.