Search
sexta-feira 22 junho 2018
  • :
  • :

MinC dá formação a gestores para ampliar Pronatec Cultura

MinC
Gestores públicos de órgãos estaduais e municipais de cultura de todo Brasil, além das oito representações regionais do Ministério da Cultura (MinC), estiveram em Brasília (DF) nesta terça-feira (19) para o seminário Desafios do Pronatec Cultura. Organizado pela Secretaria de Educação e Formação Artística e Cultural (Sefac) do MinC, o evento teve como objetivo aprimorar a gestão e ampliar o alcance do programa em 2016, tirando dúvidas e auxiliando os gestores que têm a responsabilidade de viabilizar a oferta de vagas em seus territórios.
A secretária de Educação e Formação Artística e Cultural do MinC, Juana Nunes, abriu o seminário ressaltando a importância da economia da cultura para o desenvolvimento econômico e social das cidades e o seu grande potencial de inclusão produtiva. Entretanto, destacou que a carência de formação técnica, profissionalizante e especializada na cultura ainda limitam o desenvolvimento e a agregação de valor à cadeia.
Segundo Juana Nunes, o Pronatec Cultura visa combater exatamente esse gargalo e, neste momento, o principal desafio é consolidar uma rede capaz de prover essa formação em escala. “Precisamos entender que estamos construindo um campo novo e que disputamos vagas com setores mais organizados, que já trabalham o ensino profissionalizante há anos. Portanto, nós precisamos nos desdobrar em um grande trabalho de articulação em rede, das secretarias de estados e de municípios, das fundações de arte e cultura, dos institutos federais, universidades, do Sistema S e de todos os parceiros que nos ajudem a consolidar esse campo”, enfatizou.
Uma das dificuldades recorrentes neste campo novo foi relatada pelos representantes da Secretaria de Cultura do município de Rio Grande (RS), Ricardo Freitas, e da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco,  Agricelia Genoino: a disponibilização de material didático especializado.
De acordo com o diretor de Integração das Redes de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (MEC), Carlos Artur, que integrou a mesa de abertura do seminário junto com Juana Nunes, o Pronatec possui uma linha de crédito específica para a produção do material didático faltante, registrado a cada ano, que pode ser acionado pela cultura. Outra solução em construção apontada pelo diretor é o “MECFlix”, uma plataforma virtual, em código aberto, que pode ser acessada via internet por qualquer cidadão e onde os conteúdos dos cursos de todo o Brasil podem ser armazenados e compartilhados.
Juana Nunes, por sua vez, afirmou que a Sefac irá criar um grupo de trabalho, incluindo os gestores estaduais e municipais, para organizar as demandas e soluções para produção do material didático.
Outra dificuldade comum foi levantada pela diretora da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour, órgão gestor da política cultural do Acre, Carolina di Deus. “Já conseguimos realizar cursos na capital, Rio Branco, e queremos descentralizar, levar para o interior, mas temos muita dificuldade em ter profissionais ou recursos para manter profissionais lá e para ter estrutura. Não conseguimos locar 20 câmeras para um curso de fotografia”, exemplificou.
Juana Nunes afirmou que, quanto a infraestrutura, uma das iniciativas do MinC, além de um trabalho constante junto ao MEC para obtenção de verbas, foi ajudar a criar uma modalidade de emenda parlamentar que permite a destinação de recursos para institutos federais construírem laboratórios vocacionados para área cultural. Quanto a formação de professores, ela destacou que o MinC trabalha pela certificação de milhares de fazedores da cultura que aprenderam seus ofícios e saberes na prática, mas são impedidos de serem contratados pela falta de diploma.
Mas, a secretária voltou a frisar a importância da construção de redes para multiplicar os recursos humanos e materiais. “A Escola Nacional de Circo no Rio de Janeiro, por exemplo, forma seus alunos e recebe apoio do Pronatec por meio de parceria com instituto federal do Rio, que é quem emite os certificados”, destacou.
O turno vespertino foi reservado para atendimento individual dos gestores quanto ao funcionamento do Pronatec Cultura em seu estado ou município.
Abertura de vagas
Esta terça-feira (19) era a data limite para os órgãos estaduais e municipais de cultura enviarem o seu mapeamento de demandas para o Pronatec Cultura, no qual informam e justificam quantas vagas necessitam e quais dos cursos disponíveis desejam ofertar em sua região. O prazo, porém, foi prorrogado e, de acordo com Carlos Artur, deverá se estender até maio. Os procedimentos para realização do mapeamento estão listados neste passo a passo.
Pronatec
O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) do Governo Federal é coordenado pelo Ministério da Educação (MEC) e tem o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica no País. O MinC é responsável pelo Pronatec Cultura, modalidade que, desde 2013, já ofertou  50.341 vagas em cursos técnicos na área cultural em todo Brasil.