Search
sábado 22 setembro 2018
  • :
  • :

Dia Mundial do Rádio! Venha relembrar dessa era de ouro.

O Dia Mundial da Rádio celebra-se anualmente a 13 de fevereiro. A data foi escolhida, pois foi neste dia que a United Nations Radio emitiu pela primeira vez, em 1946, um programa em simultâneo para um grupo de seis países. A data foi declarada em 2011 pela UNESCO e o primeiro Dia Mundial da Rádio foi celebrado em 2012.

Neste ano de 2016, o tema da UNESCO para o Dia Mundial do Rádio é “O rádio em situações de emergência e desastre”. O rádio continua a ser o meio de comunicação que alcança maior audiência mundial e com a maior rapidez possível.

A “Era do Rádio”

O ano era 1919, época de mudanças, época de crescimento cultural, no cinema, na pintura, na música, mas em especial ano que dá inicio a chamada “Era do Rádio”.

Inicialmente utilizado por militares e em especial na primeira Guerra Mundial, o rádio em pouco tempo se popularizou através do encantamento das pessoas pela novidade de ter a possibilidade de companhia em casa até então não imaginada.

E porque o titulo “Era do Rádio”? Principalmente pelo crescimento surpreendente que o mesmo tinha. Para se ter uma ideia  nos EUA em 1921 eram 4 emissoras, um número pequeno ainda, porém já no final de 1922, os americanos contavam 382 emissoras.

A chegada do rádio comercial não demorou. Logo as emissoras reivindicaram o direito de conseguir sobreviver com seus próprios recursos. A pioneira no rádio comercial foi a WEAF de Nova York.  Ela irradiava anúncios e cobrava dois dólares por 12 segundos de comercial e cem dólares por 10 minutos.

A Era do Rádio no Brasil

 

A primeira transmissão radiofônica oficial no Brasil foi o discurso do Presidente Epitácio Pessoa, no Rio de Janeiro, em plena comemoração do centenário da Independência do Brasil, no dia 7 de setembro de 1922. O discurso aconteceu numa exposição, na Praia Vermelha – Rio de Janeiro e o transmissor foi instalado no alto do Corcovado. A data ficou na história, mas não na memória emocional como ocorreria 14 anos depois, quando foi inaugurada a Sociedade Rádio Nacional, a PRE-8, que fez a  Rádio Mayrink Veiga  perder a liderança, mesmo estando no ar 10 anos antes da Nacional.

A partir da Rádio Nacional, o imaginário popular, os costumes, a magia e a cultura nunca mais seriam os mesmos, visto que esse veículo de comunicação criou e manteve ídolos, e determinou o padrão das vozes que manteriam sua magia e seriam capazes de garantir sua expansão no mercado. Conscientes deste papel, os cantores e compositores, ao assinar o contrato para integrar o elenco da Nacional, sabiam que estavam assinalando seus nomes em um belíssimo capitulo da História.

E que época mágica, época de Orlando Silva, Francisco Alves, Vicente Celestino, Carmem Miranda, Aurora Miranda, Emilinha Borba, Marlene, Nelson Gonçalves, Cauby Peixoto, Ary Barroso, Grande Otelo, Janete Clair, Mario Lago, Aracy de Almeida, Carmélia Alves, Dalva de Oliveira, Herivelto Martins, Ângela Maria, Chacrinha, Chico Anysio, Silvio Santos, dentre tantas outras personalidades que viveram a época, seja em programas de auditórios, novelas, ou simplesmente reproduzindo suas canções.

Datas Importantes:

1887 – Henrich Rudolph Hertz descobre as ondas de rádio.

1893 – Padre Roberto Landell de Moura faz a primeira transmissão de palavra falada, sem fios, através de ondas eletromagnéticas.

1896 – Gluglielmo Marconi realiza as primeiras transmissões sem fios.

1922 – Primeira transmissão radiofônica oficial brasileira.

1923 – Roquette Pinto e Henrique Morize fundam a primeira emissora brasileira Rádio Sociedade do Rio de Janeiro.

1926 – Criação da Rádio Mayrink Veiga.

1931 – É fundada a PRB 9 – Rádio Record de São Paulo. No início dos anos 30 o Brasil já tinha 29 emissoras de rádio, transmitindo óperas, músicas e textos instrutivos.

 1932 – O Governo de Getúlio Vargas autoriza a publicidade em rádio. Ademar Casé  estreia seu programa na Rádio Philips. Casé (avô da atriz Regina Casé) criou o 1º jingle do rádio brasileiro: “Oh! Padeiro desta rua/Tenha sempre na lembrança/Não me traga outro pão/Que não seja o pão Bragança…”

1933 –  O americano Edwing Armstrong demonstra o sistema FM para os executivos da RCA.

1934 – Criada a Rádio Difusora, apelidada de “Som de Cristal”, onde surge o termo “radialista”, inventado por Nicolau Tuma.

1935 – Acontece na Alemanha, a primeira emissão oficial de TV. Assis Chateaubriand inaugura em 25 de setembro a PRG-3, Rádio Tupi do RJ.

1936 – Em Londres é inaugurada a estação de TV da BBC. Ao som de “Luar do Sertão”, às 21 horas do dia 12 de setembro, ouvia-se: “Alô, alô Brasil! Aqui fala a Rádio Nacional do Rio de Janeiro!”.  Surge a PRE-8, adquirida por apenas 50 contos de réis da Rádio Philips. O ano de 1936 marca também a estreia no rádio de Ary Barroso. Um polêmico narrador esportivo que tocava gaita quando narrava os gols. Tornou-se uma das mais importantes figuras do Rádio. Começou na Rádio Cruzeiro do Sul, do Rio de Janeiro. Apresentador de vários programas de sucesso e compositor da música “Aquarela do Brasil”, entre outras.

1938 – Em 1938 acontece a primeira transmissão esportiva em rede nacional no Brasil, na Copa de 38, por Leonardo Gagliano Neto, da Rádio Clube do Brasil do RJ.

1939 – O americano Edwin Armstrong inicia operação da primeira FM em Alpine, New Jersey.

1941 – Em 12 de julho, começa a transmissão da primeira rádio novela do País, que foi apresentada durante cerca de três anos, pela PRE-8, Rádio Nacional do RJ.  Era a novela “Em Busca da Felicidade”. A seguir foi a vez de “O Direito de Nascer”. Na década de 40 entra no ar o primeiro jornal falado do rádio brasileiro:  o “Grande Jornal Falado Tupi”, de São Paulo. Surge o noticiário mais importante do rádio brasileiro: “Repórter Esso”.  O humorista Chico Anysio começou no rádio, na década de 40, produzindo e apresentando programas, entre eles a “Rua da Alegria”, na Rádio Tupi do Rio de Janeiro.

1942 – Abelardo Barbosa (Chacrinha) surgiu no final dos anos 30, na PRA-8 Rádio Clube de Pernambuco. Em 1942 ele foi para a Rádio Difusora Fluminense. A partir de então ficou conhecido como Chacrinha, pois a emissora ficava numa chácara em Niterói. É criado o “Cassino do Chacrinha”.  Em 1959 o “Velho Guerreiro” estreia na Televisão.

1946 – Surgem os gravadores de fita magnética, dando maior agilidade ao rádio.

1948 – Na Rádio Nacional  faz sucesso o programa “Balança, mas não cai”.

1950 – A TV BBC de Londres realiza a primeira transmissão de imagens para além do Canal da Mancha. É inaugurada oficialmente a primeira emissora de televisão brasileira: TV Tupi de São Paulo, no dia 18 de setembro.

1951 – É inaugurada a TV Tupi do Rio de Janeiro.

1953 – A cantora Emilinha Borba, que começou na Rádio Cruzeiro do Sul, foi consagrada a “Rainha do Rádio”, na Rádio Nacional, em 1953.

1954 – Inventada em 1940 por Peter Goldmark a TV a cores entra em funcionamento.

1962 – Primeira transmissão via satélite.

1962 – Em 27 de novembro, é criada a Associação Brasileira de Rádio e Televisão – ABERT.

1965 – O Brasil é integrado no Sistema Intelsat.

1965 – Inauguração do MIS – Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro

1967 – Criado no dia 25 de fevereiro o Ministério das Comunicações.