Search
segunda-feira 19 novembro 2018
  • :
  • :

Secretaria de Cultura encerra o Salão do Livro e a FECOARTE com saldo positivo aos olhos dos músicos

Equipe Secult
Hayla Menares

Foi muito bonito de se ver durante os shows da FECOARTE e do Salão do Livro a alegria e surpresa de alguns músicos ao entrar no camarim e se deparar com uma mesa com vários petiscos e um freezer com água e refrigerante.
Sei que a maioria vai estranhar e se perguntar o por que da reação, e então lhes explico: os camarins de eventos pelo Tocantins por muitas vezes tem somente água (quando tem e em sua maioria quente).

Entrevistei alguns artistas após os eventos e resolvi fazer uma matéria sobre o assunto. Relato aqui o cuidado e atenção que eles receberam e a emoção de um gesto tão simples e que custa tão pouco significar tanto pra quem recebe.

Josifran Mello que se apresentou no Palco FECOARTE, conta que chegou atrasado no dia e só entrou no camarim após o show. Entre risos ele diz que nunca tinha recebido flores na vida e ao receber as que estavam no camarim se deparou com uma outra surpresa: “Fui ver o cartão e era manuscrito, algo difícil de se ver atualmente, posto que normalmente vem tudo digitado. Tinha trecho de uma música minha que defendi na ultima Mostra de Música “Deixe-me viver”, fiquei super emocionado”, conta. Josifran agradeceu todo o tratamento da equipe técnica na passagem de som feita no horário e o respeito que tiveram com ele como músico

 “Pela primeira vez no Tocantins eu me senti um artista de verdade”

Malu Lópes, outra artista regional que se apresentou no Palco Jovem também elogia toda a produção do local: “Foi ótimo, a passagem de som, o técnico de som muito atencioso, camarim com todo o suporte necessário para a banda, além do público que lotou o Espaço Jovem. Simplesmente emocionante”, pontuou a cantora.

Jorge Menares, conta que como integrante do renomado grupo Raíces de América já viajou o Brasil inteiro, e era acostumado com camarim, mesas de frios, frutas, espelho e toda uma estrutura para receber o artista.

Na FECOARTE, se sentiu muito feliz, pois teve assessoria tanto de camarim como de estrutura técnica de som. Ele ressalta que em todos os palcos que tiveram assessoria da SECULT, durante o Salão do Livro e a FECOARTE, o tratamento foi excelente:

A SECULT foi de uma delicadeza e simpatia tratando a todos como iguais e está fazendo a diferença perante os artistas regionais que muitas vezes foram tratados com condições mínimas. Algumas vezes nem camarim tínhamos para nos acomodar antes e depois dos shows. Quero parabenizar em especial o secretário Melck Aquino pela iniciativa e espero que esse engajamento dele com a cultura tenha continuidade tanto nos projetos culturais, quanto com os artistas

E eu, colunista e artista que assino essa matéria, espero que essa gestão se mantenha sempre ativa na defesa e cuidado com o artista tocantinense e na manutenção da cultura. Os artistas precisam além de um camarim bem estruturado, de respeito e reconhecimento do trabalho apresentado.

Acredito que estamos no caminho certo, visto que minha impressão nesse primeiro grande evento realizado pelo Governo do Estado foi a melhor possível. Acredito que a gestão está iniciando uma mudança no trato com a classe artística – em comparação com o que se via anteriormente. Ficou muito evidente o respeito com o qual fomos tratados.
Parabéns Secretário Melck Aquino pelo trabalho que vem desenvolvendo à frente da Secretaria de Cultura do Estado. Parabéns em especial pelo respeito demostrado a toda a nossa classe artística!