Search
sábado 18 novembro 2017
  • :
  • :

Dia Nacional do Livro e dois escritores regionalistas – nossa homenagem!

A literatura brasileira é muito rica, composta por excelentes autores, das mais variadas regiões do país.

Dentre um universo grande de autores, escolhi dois no dia de hoje para homenagear o dia Nacional do Livro. Autores esses que possuem dentre suas várias características, a de ser regionalista, algo que aprecio muito.
Jorge Amado! Amado Jorge!
Jorge Amado nasceu a 10 de agosto de 1912, na fazenda Auricídia, no distrito de Ferradas, município de Itabuna, sul do Estado da Bahia.
Passou a infância em Ilhéus. Fez os estudos secundários no Colégio Antônio Vieira e no Ginásio Ipiranga, em Salvador, onde iniciou seu trabalho em jornais e participou da vida literária, sendo um dos fundadores da Academia dos Rebeldes.
Publicou seu primeiro romance, “O país do carnaval”, em 1931. Casou-se com Matilde Garcia Rosa em 1933.
Formou-se pela Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro, em 1935. Como era um militante comunista, exilou-se na Argentina e no Uruguai entre 1941 e 1942. Retornou em 1944, ano esse em que separou-se Matilde.
Em 1945, elegeu-se membro da Assembleia Nacional Constituinte, na legenda do Partido Comunista Brasileiro (PCB), tendo sido o deputado federal mais votado do Estado de São Paulo.  A lei, ainda hoje em vigor, que assegura o direito à liberdade de culto religioso é de sua autoria.
Em 1945 casou-se com Zélia Gattai, com quem viveu até o ultimo momento de sua vida.
Em 1947 o PCB foi declarado ilegal e seus membros perseguidos e presos. O escritor exilou-se com a família na França, onde ficou até 1950, quando foi expulso. Entre 1950 e 1952, viveu em Praga.
De volta ao Brasil, Jorge Amado afastou-se, em 1955, da militância política, sem, no entanto, deixar os quadros do Partido Comunista.  Perdia-se o politico, ganhava-se o escritor em período integral.
Foi eleito, em 6 de abril de 1961, para a cadeira de número 23, da Academia Brasileira de Letras, que tem por patrono José de Alencar e por primeiro ocupante Machado de Assis.
As obras literárias do querido escritor recebeu várias adaptações para o cinema, teatro e televisão.
Segundo a Fundação Casa de Jorge Amado “as obras do escritor mereceu diversos prêmios nacionais e internacionais, entre os quais destacam-se: Stalin da Paz (União Soviética, 1951), Latinidade (França, 1971), Nonino (Itália, 1982), Dimitrov (Bulgária, 1989), Pablo Neruda (Rússia, 1989), Etruria de Literatura (Itália, 1989), Cino Del Duca (França, 1990), Mediterrâneo (Itália, 1990), Vitaliano Brancatti (Itália, 1995), Luis de Camões (Brasil, Portugal, 1995), Jabuti (Brasil, 1959, 1995) e Ministério da Cultura (Brasil, 1997)”.
Foi feito Doutor Honoris Causa em 10 universidades, no Brasil, na Itália, na França, em Portugal e em Israel. O título de Doutor pela Sorbonne, na França, foi o último que recebeu pessoalmente, em 1998, em sua última viagem a Paris, quando já estava doente.
Jorge Amado morreu em Salvador, no dia 6 de agosto de 2001.
Lista de Obras do Escritor: O País do Carnaval, Cacau, Jubiabá, Terras do Sem fim, A Morte e a Morte de Quincas Berro d´Água, Seara Vermelha, O Cavaleiro da Esperança, O Mundo da Paz, Os Subterrâneos da Liberdade, Gabriela, Cravo e Canela, Suor, Mar Morto, Capitães de Areia, São Jorge dos Ilhéus, Os Velhos Marinheiros, Os Pastores da Noite, Dona Flor e seus Dois Maridos, ABC de Castro Alves, O Amor do Soldado, Bahia de Todos os Santos, A Estrada do Mar, Tereza Batista Cansada de Guerra, Tieta do Agreste, Farda Fardão e Camisola de Dormir, O compadre de Ogum, Tenda dos Milagres, O gato molhado e a andorinha Sinhá, Do recente milagre dos pássaros, O menino grapiúna, A bola e o goleiro, Tocaia Grande, O sumiço da Santa, Navegação de Cabotagem, A descoberta da América pelos turcos, O milagre dos pássaros, e Hora de guerra.
Érico Verissimo!
Érico Veríssimo nasceu em Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, no dia 17 de dezembro de 1905. Estudou no Colégio Venâncio Alves, em Cruz Alta. Em 1920 foi para Porto Alegre, estudou no Colégio Cruzeiro do Sul, mas não completou o curso. Voltou para Cruz Alta. Abandonou os planos de cursar uma Universidade.
Em 1925 trabalhou no Banco Nacional do Comércio. Em 1926, tornou-se sócio de uma farmácia. Dava aulas de literatura e inglês. Em 1929, começou escrevendo contos para revistas e jornais.
Em 1931, casa-se com Mafalda Halfem Volpe, com quem teve dois filhos. Vai definitivamente para Porto Alegre, onde foi contratado para o cargo de secretário de redação da Revista do Globo, onde conviveu com escritores renomados.
Em 1932, o autor publica uma coletânea de contos “Fantoche”, foi sua estreia na literatura. Em sua primeira fase a preocupação foi ética e urbana. Na segunda fase Érico parte para uma investigação completa do passado histórico do Rio Grande do Sul. “O Tempo e o Vento”, são três romances, que trazem um vasto texto épico, onde desfilam as famílias do patriarcalismo gaúcho.
Érico Veríssimo foi para os Estados Unidos, em 1941, em missão cultural, a convite do Departamento de Estado americano. Temendo a ditadura do governo Vargas, em 1943, foi lecionar Literatura brasileira, na Universidade de Berkeley, na Califórnia.
Em 1953, ocupou o posto de Diretor do Departamento de Assuntos Culturais da União Pan-Americana.
Em 1969, a casa onde nasceu Veríssimo, é transformada em Museu. Sua obra “Música ao Longe”, recebeu o Prêmio Machado de Assis e “Caminhos Cruzados”, recebeu o Prêmio Graça Aranha.
Em 1973, escreveu o primeiro volume da trilogia de sua auto-biografia “Solo de Clarineta”, mas não completou o segundo volume.
Érico Lopes Veríssimo morreu vítima de enfarte no dia 28 de novembro de 1975.
Lista de Obras do Escritor: Fantoche, Clarissa, Caminhos Cruzados, Música ao Longe, A Vida de Joana D’Arc – biografia, Um Lugar ao Sol, ficção, As Aventuras do Avião Vermelho – literatura infantil, Rosa Maria no Castelo Encantado –  literatura infantil, Os Três Porquinhos – literatura infantil, Meu ABC – literatura infantil, As Aventuras de Tibicuera, O Urso com Música na Barriga, Olhai os Lírios do Campo, A Vida do Elefante Basílio, Outra Vez os Três Porquinhos, Viagem à Aurora do Mundo, Aventuras no Mundo da Higiene, Saga, Gato Preto em Campo de Neve, impressões de viagem, As Mãos de Meu Filho, O Resto é Silencio, ficção, A Volta do Gato Preto, O Tempo e o Vento I – O Continente, O Tempo e o Vento II – O Retrato, Noite, novela, Gente e Bichos, O Ataque, novelas, O Tempo e o Vento III – O Arquipélago, O Senhor Embaixador, O Prisioneiro, Israel em Abril, Incidente em Antares e Solo de Clarineta – memórias, Vol.I,  Vol.II.