Search
terça-feira 16 janeiro 2018
  • :
  • :

Sururu na Roda fecha com chave de ouro 3º dia do Salão do Livro


Hayla Menares
Ovacionados pelo público e ao eco popular: “mais um, mais um”, foi assim que a Banda Sururu na Roda fechou o terceiro dia do 9º Salão do Livro na noite desta segunda-feira, 21.
Com a fineza e a qualidade musical que deixa qualquer um de queixo caído, a banda levou o público ao delírio com clássicos do samba de raiz como “Retalhos de Cetim” e “Não deixe o samba morrer”.
Em entrevista ao site TOCult, a cantora Nilze Carvalho fala da resposta do público estrangeiro ao Samba de Raiz.
Ela conta que a recepção é sempre muito bacana, tanto com o grupo, quanto nos trabalhos solos que ela já realizou. Na ultima turnê o Sururu na Roda foi para o Japão, onde permaneceram por 40 dias. Conta ainda que o público japonês, além de gostar e serem abertos à música em geral tem um apreço especial pela música brasileira. “O próprio estrangeiro é aberto a novos sons, é livre de qualquer preconceito”, pontua a talentosa cantora.
Em outubro o grupo fará 15 anos e a comemoração dessa trajetória será com 2 projetos que trará dos fabulosos teatros do Japão às Lonas Culturais do subúrbio do Rio de Janeiro.
O primeiro projeto abordará todo material da turnê pelo Japão que está sendo editado para lançamento em DVD no final deste ano.
Já o segundo projeto, que terá a missão de ser a grande comemoração da data citada, será o DVD de 15 anos da banda gravado na Lona de Campo Grande, local onde a cantora passou sua juventude e onde o grupo realiza há 1 ano rodas de samba. “Vai ficar muito interessante, porque no DVD do Japão eram teatros de 2 mil lugares, palcos, cenários; já no DVD de comemoração de 15 anos será o inverso, ou seja, pé no chão, a galera junto com a gente”, conta Nilze Carvalho. A gravação será em Novembro e pode sair no final de 2016.
Sobre as impressões do Salão do Livro, a cantora elogia o Secretário de Cultura Melck Aquino por trazer a diversidade musical: O Brasil é tão grande, tem tanto tipo de gente, porque não ter todo tipo de música”, ressalta Nilze
Sururu na Roda
Eleito melhor grupo de samba pelo 25º Prêmio da Música Brasileira em 2014, com notória atuação no cenário nacional e internacional e performances ao lado de ícones da MPB, o Sururu na Roda desponta como um dos mais importantes grupos da nova geração do samba.
Uma das marcas do grupo é sua sonoridade que expressa diferentes nuances de timbres, característica que mescla novidade, qualidade e tradição.
Isso se deve ao fato de seus integrantes serem cantores e instrumentistas, cada um proveniente de um contexto musical diferente, trazendo para o grupo sua bagagem e suas influências.
Ao longo de sua trajetória o grupo representou a música brasileira em eventos promovidos pelas embaixadas brasileiras em países como Costa Rica, Guatemala, Tunísia, Belize, Vietnã.
Além da representação nos citados países o grupo realizou turnês nos Estados Unidos e Argentina.
No final do segundo semestre de 2014 o grupo realizou uma turnê de 22 shows em 20 cidades do Japão, com enorme aceitação e sucesso de público. A turnê foi produzida pela Latina e pelo grupo Min-On.
Rumo aos 15 anos de estrada que se completarão em outubro deste ano, o Sururu na Roda se mantém ligado à proposta de resgate cultural do cancioneiro popular propondo releituras de clássicos que constroem os pilares da música popular brasileira e apresentando seu trabalho autoral, prezando sempre pela busca da mais alta qualidade musical.

“O Sururu na Roda é a síntese da diversidade musical da renovada Lapa. Grupo surgido 15 anos, no bojo dessa retomada, o Sururu na roda é o que melhor sintetiza essa renovação, pois, ao contrário de boa parte dos seu pares, não ficou apegado à releitura de antigos sambas (…) O Sururu na Roda traz o frescor e a alegria das rodas, fazendo um samba com a marca do bom humor carioca”, João Pimentel, no jornal O Globo.