Search
segunda-feira 20 novembro 2017
  • :
  • :

Sobre ser solteira aos 30…

Eu sempre fui namoradeira, mas depois do meu primeiro namorado eu não apresentava mais ninguém ao meus pais pois estava a espera daquele que ia ser o cara, então aconteceu que eu só voltei a apresentar alguém para a minha família quando casei.

Pois é, nesse meio tempo galinhei muito, aproveitei muito a companhia dos meus amigos, mas chegando perto dos 30 as pessoas começaram a fazer perguntas e inclusive a me chamar de “solteirona”, coisa mais brega na minha opinião, sem falar que é super machista.

Lembro um dia que minha mãe me perguntou se eu era lésbica, que perguntaram para ela e ela disse que achava que não e deve ter rido, porque mamis sabe tudo de mim, nunca escondi nada e se eu namorasse meninas eu já teria contado a ela.

Mas o que mais me choca é a indiscrição das pessoas em perguntar sobre a sexualidade das pessoas, porque afinal que diferença faz ser hétero ou homossexual? Eu vou transar com quem eu quiser e isso vai mudar minha personalidade porque? Algum efeito biológico que desconheço acontece quando a gente faz sexo além de nos deixar mais felizinhas?


Mas uma moça com 30 anos e com amigos gays e solteira só pode levar a essa conclusão: ou é lésbica ou ninguém quer e é a tal solteirona!

No entanto ninguém pensava que eu estava super ocupada estudando, e que quase nunca ia para balada (nessa época era concurseira) e que minha última preocupação, se é que ela entrava na lista das minhas preocupações, era o status do meu relacionamento.

Mas então porque isso “preocupava” outras pessoas?

Puro preconceito né. Nem preciso dizer que um homem que esta focado na carreira não levanta tais suspeitas e sim é respeitado como sendo estudioso e que “vai ter um futuro brilhante pela frente” , “rapaz de ouro” outros diriam.


Eu nunca sonhei em casar e ter filhos, meu foco era encontrar minha vocação e ser feliz, o resto só vem e só dá certo quando a gente esta de boa sozinha, e eu adorava ficar sozinha.


sem vergonha de ser feliz!
Ouvia músicas da Madonna anos 80 no último volume, cantava e dançava, quando tava animada, ou lia um bom livro, ou então aproveitava para tentar meditar (porque meditar mesmo acho que nunca consegui, continuo tentando).

Tem muita coisa boa sobre ficar sozinha um tempo sem um namorado a tira colo. Você descobre que pode tudo, apesar do que os outros digam. Desde os 17 anos sou “viajante solitária”, e foi muito bom, pois aprendi a me virar sozinha, a ser criativa, e fiz muitos amigos de culturas totalmente diferentes da minha e vivi muito bem obrigada.

Acho que se você é do tipo que ta sempre com namorado, talvez você nem saiba como você é independente emocionalmente, nem perceba sua força, nem saiba direito quem você é. Porque quando estamos envolvidas num relacionamento a coisa toda vira meio simbiótica para só mais tarde serem dois seres humanos que se amam. Mas até para isso acho que precisa certo amadurecimento, e não sei se quem emenda um namoro no outro atinge esse grau de autoconhecimento.


Da para ser feliz solteira? Super sim! Se você esta solteira nesse momento aproveite para se amar muito, cuidar de você, estudar, viajar, enfim, invista em si mesma. Ser solteira não significa estar sozinha, de jeito nenhum. E namorar com 30, pelo menos no meu caso, foi mil vezes melhor do que com 20 anos. Eu sabia o que queria, e estava tranquila a respeito de mim mesma, eu era eu mesma, não escondia nada do bofe, coisa que talvez eu fizesse aos 20, porque aos 20 eu achava que tinha que ser perfeita e hoje sei que não existe perfeição e se existisse seria uma chatice tremenda. E mais do que isso, eu queria que meu namorado soubesse quem eu era por completo, incluindo minhas imperfeições. E quando você chegar nessa fase, então pode ser que “o cara” chegue até você!

Enquanto não chega, deixa o preconceito dos outros de lado e vai ser feliz!


Um comentário sobre “Sobre ser solteira aos 30…